//
você está lendo...

Meio Ambiente

Audiência Pública da Comissão de Patrimônio Cultural: poucos avanços, por ter sido realizada em momento inoportuno

A audiência pública da Comissão de Patrimônio da Câmara Municipal realizou-se hoje 04/10/2011, na Igreja Anglicana, para discutir a elaboração de um Plano de Gestão para Santa Teresa e a implementação do Conselho Gestor da APA. Leia na íntegra a mensagem da AMAST à Comissão.

A proposta era que as Secretarias de Meio Ambiente, Cultura, Urbanismo, bem como IPHAN, INEPAC e demais órgãos do Poder Executivo pudessem prestar  esclarecimentos sobre sua atuação e desempenho na gestão do meio ambiente natural e cultural de Santa Teresa.

[pullquote]Quiseram nos empurrar goela abaixo essa audiência pública justamente quando nossa prioridade é bonde e não temos condições de desviar o foco[/pullquote]Demonstrando desprezo pela população e pelo Legislativo Municipal, poucas Secretarias estiveram presentes; os titulares de algumas pastas enviaram representantes cuja participação foi inócua.

Este  fato confirmou o caráter improdutivo e inoportuno dessa audiência. Fomos atropelados pelo calendário dos Senhores Vereadores (de olho nas eleições municipais que se avizinham…). Quiseram nos empurrar goela abaixo essa audiência pública justamente quando nossa prioridade é bonde e não temos condições de desviar o foco.

Apesar de tudo isso, nos fizemos presentes e bem representados e contamos com a presença de muitos moradores interessados na questão. Infelizmente, poucos se inscreveram para falar e debater o assunto, intimidados que estavam com a enorme quantidade de gente estranha ao bairro sentada na plateia. De qualquer forma, mandamos nosso recado: transparência, integração entre os órgãos municipais, participação dos moradores nas decisões… enfim, há muito a ser feito. Agradecemos aos presentes e convidamos a todos que têm interesse no assunto a nos ajudarem a avançar na construção do futuro da APA de Santa Teresa!

  • Talvez tenha razão em dizer do momento de ânimos justificadamente exaltados, mas será que foi aproveitada a oportunidade de dar visibilidade às demandas dos moradores, exatamente quando o governo evita isso?     Por que se perde tempo e energia questionando a qualidad da oportunidade, se o inimigo comum é o que estava ausente (ou discretamente presente)?         Os antenados e descolados moradores d Stª Teresa ñ precisam d coordenadores públicos c/ grandes idéias d  liderança comunitária.     Precisa é continuar “balançando” a árvore, que o fruto podre vai cair, e não vai ser só um, não…   

    • Foi aproveitada a oportunidade sim, Fábio. Acabamos de atualizar o texto. Veja a mensagem da AMAST à Comissão, com reivindicações objetivas, apenas uma pincelada do que a AMAST entregou à comissão sob a forma de um dossiê, com mapeamento da situaçãod o bairro. Questionar a oportunidade não foi uma perda de energia, foi necessário para mostrar que até o planejamento desse tipo de audiência deve envolver os moradores.