//
você está lendo...

Bonde

Raspas e Restos Interessam… Revelações Decisivas sobre o Bonde de Santa Teresa

Desde que os nossos bondes foram levados de forma suspeita para a oficina da T’TRANS em Três Rios, pairavam no ar suspeitas de desmanche, venda de peças a ferros velhos e outros crimes contra o nosso patrimônio histórico. Nossas fontes sempre alertaram que os bondes levados para Três Rios apresentavam condições de recuperação e revitalização.

Quando o primeiro arremedo de VLT, apelidado de Frankstein, chegou a Santa Teresa, percebemos que era um veículo completamente novo – embora não tenha saído do lugar por falhas graves no projeto (havia sido projetado em local plano, em trilhos de trem). Se o primeiro “Frank” e todos os demais haviam sido fabricados a partir do zero, QUE FIM TIVERAM NOSSOS BONDINHOS TRADICIONAIS LEVADOS PARA A OFICINA DA T’TRANS PARA SEREM RECUPERADOS?

Esta pergunta acaba de ser respondida, por uma investigação que levantou provas contundentes, evidenciando possível prática de crime contra o meio ambiente cultural e contra o patrimônio público, com o envolvimento de ninguém menos que o (ainda!) Secretário de Transportes Júlio Lopes, a mulher do Governador Sérgio Cabral, ONG’s e empresas suspeitas.

Clique aqui para ler na íntegra a denúncia!

  • Então…Só existem ainda os bondes 11,12,13. E os de serviço “SOS” 105 106 e o bagaleiro.
    Triste final. Nem sei quantos ja tiveram em Santa Tereza… Só encontrei uma antiga fotografía de um bonde com o nº 26, e nem contar dos “reboques”  !!!
    Nem a justiça vai dar consolo.
    ABÇ